CELULITE – INFLAMAÇÃO DO TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO

Celulite

É a inflamação rápida da derme e tecido celular subcutâneo, reduzida ou espalhada, sem desenvolvimento de abscesso.
Na maioria dos casos é provocada por Staphylococcus ou Streptococcus, porém sua inflamação é mais intensa que na erisipela. Inflamação e infiltração da derme são achados na biópsia.

 

 

Serão abordados a partir de agora:

– O que causa?
– O que aumenta o risco de ter celulite?
– Quais os sinais e sintomas?
– Quais os exames para a celulite?
– Pode complicar?
– Como cuidar do paciente?

Causas:

Streptococcus beta-hemolíticos do grupo A, S.pyogenes

Haemophilus influenzae

- Staphylococcus aureus

- Clostridium perfringens, C. septicum, C. ramosum

– Flora aeróbica-anaeróbica mista (celulite necrotizante)

– Em pacientes imunocomprometidos: Bactérias (Serratia, Proteus)

– Micobactérias atípicas, fungos (Cryptococcus neoformans ).

Fatores de risco:

– Contusão e lesão da pele anterior

– Linfedema de membro inferior

– Mastectomia (retirada da glândula mamária)

– Diabetes

– Queimaduras

– Uso de drogas na veia.

Sinais e Sintomas:

– Vermelhidão, inchaço e dor no local
– Mal estar, febre e calafrios
– Placa avermelhada dolorosa no local com limites altos, sem delimitação clara da pele ao redor
–  Linfadenopatia regional
– Celulite que se repete regularmente na perna depois de retirada de safena
– Celulite dissecante do couro cabeludo.

- Secreção com pus de abscessos logo abaixo da pele interligados.

– Celulite facial em adultos

- Começa com faringite

– Inchaço e vermelhidão na face e região da frente do pescoço

– Mal estar, falta de apetite e vômitos

– Inchaço na região anterior do pescoço

– Dificuldade de engolir de alguns pacientes.

– Celulite periorbitária (na maioria das vezes causada por sinusite do seio etimoidal)

- Inchaço, dor e sensibilidade na pálpebra e perto do olho

– Vermelhidão no “branco dos olhos”

– Queda da pálpebra

– Restrição dos movimentos do olho

– Aumento da pressão do olho

– Alteração da sensibilidade da córnea

– Acúmulo de sangue nas veias da retina

– Estrias coriorretinianas

– Mortificação da pálpebra

– Dor de cabeça e secreção pelo nariz.

– Celulite perianal (mais comum nas crianças)

- Vermelhidão perto do ânus

– Dor ao defecar, fezes com filetes de sangue

– Coceira perto do ânus.

– Celulite vulvar – Geralmente após procedimentos ginecológicos ou obstétricos. Observa-se inchaço, vermelhidão e dor perto da vulva.

Diagnóstico diferencial:

– Fasciite/miosite/linfangite/erisipela

– Tromboflebite/trombose de veia profunda

– Osteomielite

Exames para se fazer o diagnóstico:

– Hemograma – leucocitose com desvio para a esquerda

– Hemocultura – agentes encontrados somente em 25% dos exames

– Cultura do corrimento da lesão em casos especiais

– Rx e TC da face

A certeza do diagnóstico é obtida pelos dados clínicos e detecção do agente causador em cultura da secreção ou biópsia da pele em casos especiais.

Complicações:

– Penetração da bactéria no sangue

– Abscessos locais

– Linfangite, tromboflebite

– Celulite facial em crianças – meningite

– Celulite com formação de gás – gangrena

Tratamento:

– No caso de celulite nas pernas, as mesmas devem ser mantidas imobilizadas e elevadas.

– Calor úmido deve ser aplicado.

– Retirada de tecido sem vida cirurgicamente da lesão quando há gás e/ou reunião de secreção com pus em casos de celulite por Clostridium.

Medicamentos que podem ser usados na celulite:

– Penicilina Benzatina ou Procaína no caso de celulite por Streptococcus.

– Oxacilina no caso de estafilicocos ou desconhecimento do germe causador.

– Gentamicina – no caso de bacilos gram-negativos.

– Amoxicilina + Ac. Clavulânico ou cefoxitina parenteral no caso de celulite por mordedura animal.

– Cefalexina para pacientes diabéticos até que a cultura esteja pronta.

– Clindamicina ou gentamicina no caso de pacientes imunocomprometidos.

– Vancomicina e gentamicina no caso de pacientes queimados.

– Metronidazol ou clindamicina ou cefalotina, no caso de celulite com formação de gás.

Diferenciando celulite de trombose venosa profunda:

Na maioria das vezes torna-se fácil diferenciar uma condição da outra, porém, quando há inchaço nas pernas pode ser difícil de diferenciá-las.

Por isso devemos lembrar que na celulite como há inflamação do local acometido a pele encontra-se quente e vermelha. Na trombose venosa profunda a pele está fria ou normal e com cor normal ou azulada.

Dúvidas serão respondidas apenas em nosso FORUM, entre e faça sua pergunta.

 

Deixe seu Comentário

Faça seu login para comentar clique aqui.